Translate this Page




ONLINE
1




Partilhe esta Página





    


Dicas de saúde higiene e educação
Dicas de saúde higiene e educação

 

 

 

Não há nada tão amoroso do que um cachorro recém-chegado… a casa ganha outra alegria e o casal tem mais uma coisa com que se entreter e divertir! Porém, nem tudo é rosas nas primeiras semanas com um cachorro que, achando que tudo é brincadeira, não leva nada a sério. Munem-se destas dicas – experimentando uma ou todas – para treinar o vosso cachorro, com sucesso, logo desde o primeiro dia.

 

1. Começar já

 

É de pequenino que se torce o pepino… não é verdade? E no que toca aos cachorros isso é fundamental porque, por exemplo, embora deixem o cachorro andar ou dormir no sofá porque “coitadinho, ele é tão pequenino e fofinho”, se este é um comportamento que não vão tolerar no futuro, nunca o devem permitir, mesmo nesta fase de cachorro. Devem sim, começar a estabelecer regras e limites a partir dos primeiros dias em vossa casa… só assim conseguirão treinar eficazmente o vosso pequeno cachorro e futuro cão adulto.

 

2. Paciência e disponibilidade

 

Treinar um cachorro com sucesso é uma receita que requer dois ingredientes principais: paciência e disponibilidade. Um cachorro presta maior atenção e responde melhor a um dono que se mantenha calmo, ao contrário de um que esteja constantemente a gritar. O mais certo é que os gritos e as sapatadas não só agitam e/ou descontrolam o cachorro, como o podem assustar – não se esqueçam que o cachorro é um bebé, está a aprender e precisa da vossa ajuda para ser bem-sucedido.

 

3. Elogios e recompensas

 

Estas duas coisas devem andar de mãos dadas no que toca a treinar um cachorro eficazmente. Sempre que a vossa pequena bola de pelo fizer algo benfeito e/ou alguma coisa que lhe pediram, devem elogiá-lo, fazer-lhe uma festinha na cabeça e oferecer-lhe uma pequena guloseima (de preferência, saudável!). Para além de responder melhor aos estímulos positivos, em detrimento dos estímulos negativos, os cachorros vão lembrar-se daquilo que acontece quando se portam bem e, por isso mesmo, vão repetir esse comportamento.

 

4. Trocar-lhe as voltas

 

Um cachorro só sabe que aquilo que está a fazer é errado quando os donos lhe chamarem a atenção, por isso, em vez de darem uma sapatada ou mandarem um grito ao cão quando o encontrarem a roer a almofada do sofá, digam “NÃO” numa voz firme, retirem a almofada e substituem-na por um dos seus brinquedos. Quando o cachorro começar a roer o seu brinquedo, elogiam-no… em breve já não terão de trocar as voltas ao vosso cão, ele vai perceber sozinho!

 

5. Ignorar também funciona

 

Os cachorros não querem muito mais para além de alimentação, brincadeira e, claro, toda a atenção do mundo por parte dos seus donos, por isso, se esta deixar de existir, eles vão prestar atenção. Se o cão fizer algo que não devia, não gritem, não ralem, não façam nada – simplesmente afastem-se e ignorem o cachorro. Ele vai rapidamente compreender que o seu comportamento não foi, nem é, aceitável.

 

6. Sejam consistentes

 

Para que qualquer uma das dicas acima mencionadas possa funcionar plenamente precisam de ser, enquanto donos de um cachorro, extremamente consistentes! Porquê? Porque se não forem consistentes, o vosso cachorro vai sentir-se confuso relativamente ao que é bom e mau, relativamente ao que é permitido e ao que não é permitido. Porque só assim é que um pequeno e ingénuo cachorro se tornará num cão inteligente e bem treinado. Não se admirem, por isso, se ao primeiro deslize da vossa parte, o pequeno cachorro aproveite para fazer asneiras ou outras coisas irritantes

 

 

Vacinação:


Todos os cães necessitam receber a vacinação para evitar-se a hepatite, cinomose, parvovirose, leptospirose, parainfluenza, coronavirose, e a mais conhecida de todas as doenças: a raiva. Contudo, o filhote não as deve receber todas de uma vez, é preciso esperar o tempo mas jamais descuidar-se delas.
Seu filhote somente poderá ser vacinado contra a raiva a partir dos 4 meses de idade, e deverá ser revacinado anualmente com todas as vacinas. Aprenda a levar o seu amiguinho ao veterinário regularmente.

Cuidados especiais:


SARNA - A grande maioria das sarnas tem cura, mas o quanto antes inicia-se o tratamento, mais rápido e fácil será a cura. Ao primeiro sinal da doença, procure o veterinário ou voluntário responsável que poderá orientá-lo.
PULGAS E CARRAPATOS - As pulgas vivem em tapetes, cadeiras estofadas e nos tecidos onde o cão dorme. Tanto as pulgas como os carrapatos podem transmitir doenças capazes de matar o seu animalzinho. Um produto eficaz é o Frontline (spray ou spot), mas existem outros produtos próprios para combater esses parasitas, porém consulte sempre o seu veterinário para orientá-lo melhor.
CÁLCIO - Todo filhote necessita de cálcio para poder crescer forte e saudável, por isso é importante que ele receba durante o seu primeiro ano de vida. Sugerimos adquirí-lo em farmácias ou casas de produtos veterinários. Tendo qualquer dúvida, fale com o veterinário responsável para receber a orientação necessária.

                                      

Banho:  


Os cachorros são animais que não suam e por isso não costumam ficar mal cheirosos. Daí necessitarem de poucos banhos, uma vez por mês. O banho deve ser dado com água morna e produtos neutros ou sabão de côco. Tomar cuidado para não entrar água e sabão nos olhos e orelhas. No inverno evite banhos. Procure escovar o seu cachorro pois assim você estará eliminando os pêlos mortos, escamações de pele morta e outras impurezas.


Educação:


Eduque seu animalzinho mas sempre com muito carinho. Os cachorros costumam ser animais limpos e que não gostam de fazer suas necessidades em qualquer lugar. Mas precisam de tempo, aprendizado e paciência. Quando ele fizer uma de suas artes, repreênda-o com um jornal enrolado, para bater no chão, ao lado da prova do crime. Jamais bata nele, isso pode provocar traumas que poderão torná-lo medroso ou mesmo agressivo. Jamais deixe ele sair sozinho nas ruas, além de correr risco de atropelamento, pode sofrer agressões, entrar em contato com animais contaminados, ingerir alimentos estragados ou envenenados.
Não mantenha seu amigo preso em uma corrente, assim seu cachorro se transformará num animal revoltado, agressivo e de difícil convivência com as pessoas que o tratam.
Tenha cuidado com objetos ao alcance do seu amiguinho, principalmente os filhotes que gostam de comer tudo o que encontram. Muito cuidado com ossos de frango.
Leve-o para passear sempre, mas somente após todas as doses de vacina terem sido aplicadas. O passeio é muito importante pois andar faz bem ao cão. Cuide para que esses passeios sejam feitos com coleira e corrente condutora. Não o deixe solto em hipótese alguma, você não sabe a reação que ele terá quando aproximar-se de estranhos ou crianças.
Você é professor dele, com carinho, paciência e bom senso você conseguirá com que o cachorro aprenda o necessário para viver bem e feliz. Coloque um nome nele e chame-o sempre dessa forma. O local onde ele dorme deve ser limpo, seco e protegido contra chuvas, sol intenso, vento e frio. Um animal bem cuidado terá uma vida boa e feliz. Nunca o abandone, ele depende de você !

                                              

Alimentação:  


Escolha uma ração apropriada a filhotes para alimentá-lo até 1 ano de idade. Depois troque para ração de adultos. Jamais use ração de gato para alimentar seu cão, pois ela é rica demais em proteínas.
Dê 3 refeições diárias enquanto ele for filhote e 2 refeições diárias quando se tornar adulto.
Caso prefira alimentá-lo com comida, existem opções baratas, tais como: frango com arroz e legumes cozidos. Acrescente um pouco de óleo e sal, porém, não use nenhum tempero. Jamais ofereça alimento mofado, estragado, com muito tempero, molhos, doces ou chocolates para seu cão filhote ou adulto.
A alimentação deve ser feita diariamente e em horários fixos, se o cão não comer, retire sua vasilha evitando assim a presença de insetos e roedores. Jamais pule um dia e compense no outro; o cão não pode comer o dobro num dia e nada no outro. Mantenha sempre disponível uma vasilha com água limpa e fresca.

Vermifugação:
Os vermes são os grandes vilões dos cachorros, principalmente dos filhotes. Por isso, o seu amiguinho está sendo entregue aos cuidados devidamente vermifugado na primeira dose. Porém, você deverá reforçar essa vermifugação para garantir a perfeita saúde dele.
Depois de adulto é conveniente vermifugar seu cachorro a cada 6 meses. Tratar com vermífugo regularmente permite ter-se o controle da maioria dos parasitas internos (vermes), evitar-se doenças e até mesmo a morte do animal. Além do mais, vermifugar é barato e fácil de se fazer.

 

 

 

 



 As broncas

É inútil brigar com o cão por coisas erradas que ele fez na sua ausência, pois ele não relaciona a bronca ao erro cometido. Se você o fizer, ele poderá associar as broncas ao seu retorno para casa. Prefira acariciá-lo e festejá-lo com seu retorno. O aprendizado se faz através de códigos, por isso a intensidade da bronca depende da gravidade do ato, devendo vir imediatamente após o erro.

Esfregar o focinho

A punição não acelera o aprendizado da higiene. Caso ele faça suas necessidades fora do local permitido, de nada vale esfregar o nariz. Isso é apenas uma grande perturbação para eles


Cuidados nos pós-cirúrgicos:


Várias recomendações acerca dos cuidados com o pós operatório:
- O animal deve ficar em repouso, a depender da cirurgia RECOMENDA-SE uma dieta especial, curativos devem ser feitos uma vez ao dia, com bastante cuidado.
- Muitos animais não ficam em repouso, quando falamos: Deixe-o preso em algum quarto ou banheiro para limitar o espaço....alguns proprietários entendem: chegue em casa e o solte no quintal, quanto mais ele correr, mais rápido ele se recupera.
-Então eles voltam com deiscência de suturas, hérnias, feridas infectadas, isso quando não fazem evisceração (saída de vísceras da cavidade abdominal) em casa e ainda mastigam um pouco das mesmas antes de morrer.
Assim os cuidados são necessários e fundamentais para o sucesso do procedimento e da melhora do animal.
Toda cirurgia gera uma mudança no metabolismo do corpo do animal. Ele não pode, simplesmente, ser responsável pela própria recuperação, é preciso muito cuidado e dedicação dos proprietários.Pulgas
Não basta matar as pulgas que encontrar no animal, pois milhares de ovos, larvas e outras pulgas adultas estão espalhadas pela casa. Na verdade, uma pulga fica em média 15 minutos por dia sobre o animal. A profilaxia deve ser feita usando algum dos muitos produtos para esse fim existente no mercado.


Comunicação

 

 Muitas são as ocasiões, porém, em que nós mesmos ensinamos nossos cães a latir. Não são raros os relatos de cães que latem para pedir comida; para pedir para entrar em casa; para sair da casa; etc. É uma comunicação que se estabelece entre o cão e seu dono, onde eles se entendem muito bem. Esta comunicação em si não é ruim, muito pelo contrário quanto mais clara a comunicação entre o dono e o cão, melhor. O problema começa quando o dono culpa o cão pelo excesso de latidos, quando a verdade é que ele foi treinado, e estimulado a fazer isso. Toda vez em que você atende a um “pedido” que seu cão faz latindo, você reforça esta comunicação

 

CUIDANDO DELE COM CARINHO, TERÁ EM TROCA UM AMIGO FIEL, INTELIGENTE E ALEGRE